Entrevista de Crato à RTP: sempre a zurrar

 

Assisti, estoicamente, à maior parte da entrevista de Nuno Crato na RTP. Para explicar a necessidade de aplicar a prova a professores contratados com menos de cinco anos de serviço, já licenciados e com estágio feito, o chamado ministro da Educação começou por declarar que isso se deve à necessidade de repensar o acesso aos cursos superiores que servirão para formar os futuros professores. Acrescentou, ainda, que é fundamental tornar esses cursos mais exigentes.

E a melhor maneira de conseguir tudo isso é, segundo Crato, obrigar pessoas que já tiraram um curso superior a fazer uma prova que deveria servir de acesso ao ensino superior.

Depois, Nuno Crato, para nos iluminar acerca da necessidade da prova docente, explicou a José Rodrigues dos Santos que, no caso dos jornalistas, fará sentido que uma televisão obrigue um licenciado em Comunicação Social a simular, por exemplo, a apresentação de um telejornal.

Penso que é justo que se obrigue um candidato a professor a fazer algo semelhante: dar aulas sob a supervisão de um profissional mais experiente. Isso já existe e tem um nome: chama-se estágio pedagógico.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Educação com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Entrevista de Crato à RTP: sempre a zurrar

  1. Pingback: Os exames e a cassete da Direita: Michael Seufert – Aventar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s