A festa de Lurdes

Se pudesse voltar a nascer, gostaria que os meus pais me chamassem Maria de Lurdes, uma vez que descobri, recentemente, que se trata de um nome festivo. O facto de ter nascido com alguma dose de masculinidade privou-me, provavelmente, de um carácter folgazão. Vivo, portanto, resignado a esta índole quase monástica a que o meu nome me condenou.

Entre muitas outras limitações, a origem franciscana dos meus dois nomes leva-me, com alguma frequência, a ficar deprimido com o dinheiro desperdiçado na corrupção legalizada das derrapagens orçamentais que favorecem os amigos, os amigos dos amigos e os primos dos amigos dos amigos, entre arquitectos, advogados e outros animais necrófagos. Nessas alturas, lembro-me do milagre dos peixes e, por muito que me identifique com um Santo António ignorado pelos homens, é como um peixe fora de água que me sinto.

Se eu me chamasse Maria de Lurdes, no entanto, que bom seria! Se eu me chamasse Maria de Lurdes, conseguiria fazer desaparecer derrapagens orçamentais ao negá-las três vezes, como se fossem monstros que se escondiam debaixo da minha cama infantil. Se eu me chamasse Maria de Lurdes, saberia descobrir festa onde o prosaísmo matemático só sabe ver prejuízos.

Está decidido. Hoje mesmo, amanhã o mais tardar, vou mudar o nome para Maria de Lurdes e serei muito festivo com o dinheiro dos outros, que é o melhor dinheiro que se pode gastar.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Educação com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s