Da importância dos centros de formação

 

A formação contínua faz parte da essência da profissão docente. O verdadeiro professor deverá ser um eterno estudante, sendo fundamental para o exercício da sua actividade que haja mecanismos formais para que possa actualizar-se. A formação contínua não pode ser uma mera imposição administrativa para progredir na carreira.

Os Centros de Formação constituem (já constituíram) o ponto de encontro ideal entre os professores, o Ministério e as Universidades. A formação dos professores deve nascer, exactamente, do debate entre estas três vozes. Um Centro de Formação deve ser, assim, a plataforma que gere todo este processo, entendendo-se, aqui, por gerir não só o acto de tratar das questões financeiras, mas, sobretudo, o de suscitar toda a discussão entre as várias entidades que devam ter ou queiram ter responsabilidades no que se refere à formação contínua.

Terá havido excessos em anos anteriores, com muito dinheiro mal ganho e mal gasto em formação contínua? Terá o Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua aprovado, demasiadas vezes, acções de formação dispensáveis? Não sei, mas os erros humanos de um sistema não são prova suficiente da falência desse mesmo sistema. Se mudássemos um sistema de cada vez que os agentes falham, podia chegar-se ao ponto de defender o fim da Democracia portuguesa ou, no mínimo, a extinção do Ministério da Educação. Um dos problemas da Educação, em Portugal, é, aliás, o excesso de mudança.

Os centros de formação podem, ainda, ser pólos de actividade cultural, através da organização de muitas outras actividades, desde conferências a colóquios, graças à facilidade com que podem mobilizar recursos humanos. Este aspecto é tanto mais importante quanto as escolas a que estiverem ligados estejam afastadas dos grandes centros.

O empobrecimento da formação contínua, a que já fiz referência anteriormente, é hoje uma das mais tristes realidades da Educação em Portugal. Os Centros de Formação foram transformados em meros gabinetes de execução de medidas orçamentais avulsas, numa prática em que está ausente qualquer preocupação com a qualidade do Ensino. Enquanto esta situação se mantiver, será muito mais difícil aos professores adquirirem uma formação contínua constante e de qualidade. Os prejudicados serão os mesmos de sempre: os alunos.

 

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Educação, Educação - um pouco do muito que falta fazer com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

4 respostas a Da importância dos centros de formação

  1. Pingback: A prova dos professores contratados: uma medida coerente | os dias do pisco

  2. Pingback: Formação contínua: os professores pagam para trabalhar | Aventar

  3. Pingback: PS e Educação: seis anos de ruína | Aventar

  4. Maria Fernanda diz:

    Excelente texto. E também o outro a que faz referência,gostei muito.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s