Pânico em Beja – o milagre da açorda instantânea

Chove dentro do pavilhão? A culpa é do clima, dizem ministra e técnicos da Parque Escolar

     Após a descoberta do miniclima em Beja pela meteorologista Isabel Alçada, os habitantes daquela cidade têm assistido a fenómenos que poderão levar a que a povoação alentejana venha a substituir o Entroncamento como território de aberrações.
     A primeira surpresa ocorreu quando se verificou que um pavilhão desportivo ficou inundado devido à chuva só porque não tinha paredes. O arquitecto responsável pelo projecto estranhou tal ocorrência, uma vez que se tinha inspirado na célebre cubata alentejana, a habitação tradicional desse curioso povo que se exprime por estalinhos na língua e sons guturais, especialmente no Inverno.
     Alguns antropólogos vêem neste problema a sempiterna invasão do homem branco impondo à força uma cultura rejeitada pelos indígenas, sendo o caso mais evidente a construção do Alqueva. Neste momento, mesmo a alimentação tradicional alentejana está a sofrer alterações bruscas, uma vez que, devido ao aumento de humidade, os pães alentejanos acabados de cozer transformam-se instantaneamente em açorda.
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Educação com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s