Diplomas para todos desde 1143 ou 1179, é conforme.

            A garantia de que haverá 100% de aprovações no nono ano dentro de alguns anos deixou-me revoltado. É pouco, é insuficiente, é pequeno-burguês no mau sentido. É preciso ir mais longe: há que diplomar, no mínimo, todos os cidadãos portugueses desde o princípio da nossa História. Não defendo, está bem de ver, a inclusão de Viriato: tivesse chegado mais tarde, pelo menos meia-hora depois de Zamora ou cinco minutos após a Manifestis Probatum. Parecendo que não, temos de ser criteriosos.             
         Proponho, desde já, que haja uma cerimónia pública e simbólica que consistirá na abertura do túmulo de D. Afonso Henriques, para que Maria de Lurdes Rodrigues possa depositar um diploma de nono ano junto aos restos mortais do nosso primeiro rei. Um rapaz que se mostrou suficientemente autónomo para se armar cavaleiro, prender a própria mãe e mandar outro fazer promessas que nunca pensou cumprir reúne, com toda a certeza, um leque de competências suficientemente diversificadas para, mesmo sendo analfabeto, merecer o nono ano. O facto de ter conseguido alargar um país sem nunca ter ido à escola, só mostra como esta é desnecessária, a não ser que seja a da vida, isto é, a das competências. Para além disso, se é possível, hoje em dia, um aluno realizar uma prova que compense a sua pouca ou nula assiduidade, há que usar de bom senso: uma vez que não se pode provar que o nosso fundador não tenha vontade de vir realizar as provas, a dúvida razoável permite-nos acreditar que é apenas a sua involuntária condição de cadáver que o impede de tentar resolver no próprio enunciado as questões que lhe seriam colocadas.
         A partir daqui, deveriam ser contemplados com diplomas todos os cidadãos do nosso passado, incluindo o soldado anónimo. Mesmo aqueles que, comprovadamente, tivessem alcançado graus superiores, não deveriam, por isso, ser excluídos: é que mais um diploma faz sempre falta, mesmo que seja só de nono ano. Proponho que a iconografia passe a representar Camões com
Os Lusíadas numa mão e o diploma de nono ano na boca. Que espectáculo não será ver todos os mortos portugueses levantarem-se no Dia do Juízo, erguendo-se dos túmulos e estendendo para os Céus o diploma que a vida não lhes permitira alcançar!
         Mas não devemos ficar por aqui. É preciso olhar para o futuro. E onde está o futuro? Há que dizê-lo, olhando para dentro de cada um de nós: o futuro está nos óvulos e nos espermatozóides que habitam o interior das portuguesas e dos portugueses, sendo que os espermatozóides, como sabem, tanto podem estar numas como noutros, ainda que em horários diferentes. E que são esses óvulos e esses espermatozóides senão os portugueses por vir? É diplomá-los, antes que nasçam ou que não nasçam. Assim, cada um de nós poderá transportar milhões de diplomados, mesmo que os óvulos estejam em minoria e sejam um exclusivo intolerável das portuguesas. Seremos a inveja do mundo civilizado, com mais diplomados que habitantes recenseados. A vida do óvulo não fecundado ou do espermatozóide é breve? E então? Se agora andam para aí a diplomar mortos…
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

4 respostas a Diplomas para todos desde 1143 ou 1179, é conforme.

  1. Eu que te pus o nome de Pisco diz:

    Como não conheço o facto ou a boutade originária que aqui foi glosada opino sobre a forma e quero dizer que já vi melhor sarcasmo escrito por sua excelência, o renomado animal com penas aqui presente nesta página.
    Não partilho portanto o “genial” e o “brilhante” anteriores, mas é só a minha opinião e tal não afeta a vontade de continuar à espera de boas ideias escritas e de bons textos literários.

    • António Fernando Nabais diz:

      Então tu, só porque és o meu padrinho, achas que podes vir para aqui dizer que não sou genial nem brilhante? Como é que é possível? Neste blogue, meu amigo, não há autor mais brilhante, mais genial do que eu. O simples facto de te ter obrigado a comentar aqui, sem desfazer dos dois anteriores, já foi uma conquista. Volta, Toni, estás perdoado 🙂

  2. Nuno Oliveira diz:

    Genial!!!

  3. Rui diz:

    brilhante

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s