Por favor, não gostes de mim!

 
             Visita guiada ao cancioneiro de Afonso Sanches

 

Pero eu dixe, mia senhor,

Que non atendia per ren

De vós bem, pólo grand’amor

Que vos sempr’ouvi al m’end’aven:

U vej’est’ar cuido no al,

Perque sempr’ouvi por vis mal

Per esso me fezestes bem.

Sempre levar assaz d’afan

por vós, mia senhor, e por én,

pois outro bem de vós de pran

non ouve, senhor, a meu sén,

sequer por quanto vos servi,

daqueste cuid’eu de min

que me tolhades vós én

Nada, senhor, mentr’eu viver;

e se vus conveer d’alguen

dissesse com’eu já perder

tal bem non posso que me vén

de vós, terredes, [eu] bem sei,

que non devia, poilo ei

per vós, a teel’en desden.

 Afonso Sanches 

      Este texto de Afonso Sanches é uma “cantiga de amor”, um dos géneros cultivados pelos trovadores medievais. Neste tipo de cantigas, podemos ouvir, habitualmente, uma voz masculina a versar, em vários tons, o amor que sente por uma mulher.

      No texto citado, o poeta dirige-se à própria amada, designada, no v. 1, por “mia senhor”, ou seja, “minha senhora”. Os ouvidos menos habituados à linguagem dos trovadores poderão estranhar que uma mulher seja “senhor”, mas a palavra em causa, herdada da terminologia feudal, era, então, uniforme.

      O poeta diz que não espera “ben” da senhora (vv.2-3). Este termo designa, muitas vezes, no género vertente, algo que a senhora deverá conceder ao trovador que se coloca ao seu serviço. A partir daqui, o poeta vai jogar com vários significados da palavra, revelando uma mestria que dificulta a
compreensão do texto. Assim, afirma que sempre sofreu por causa da senhora (v. 6) e que, por isso, ela sempre lhe trouxe felicidade (v. 7). Confuso? Claro!

      O resto do texto continua a desenvolver esta ideia, com o poeta a pedir à senhora que não o prive do sofrimento. Como pode a infelicidade ser positiva? Pelo facto de ter como causa a amada. Deste modo, tudo o que derive de uma tal mulher será sempre bom, mesmo que seja mau. Ou ainda: mesmo que a senhora só lhe dê desprezo, estará a dar-lhe alguma coisa, o que já não é mau.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Afonso Sanches com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s